instalação de sistema de combate a incêndio é uma obrigatoriedade em edificações com área construída superior a 750 m² e altura superior a 12 metros, segundo normas regulamentadoras brasileiras. De acordo com o porte e ocupação, as edificações são classificadas em grupos, com o objetivo de implementar os sistemas hidráulicos preventivos mais adequados.

Além das considerações normativas, os projetos também devem levar em consideração as diferentes legislações para a implementação de sistemas preventivos.

Nessa fase das obras, a dica é atentar-se ao que determinam os órgãos regulamentadores do estado em que a obra será executada.

Principais equipamentos do sistema de combate a incêndio

As diferentes características das edificações, assim com as atividades realizadas nos imóveis, irão influenciar diretamente no sistema de combate a incêndios.

Entretanto, é possível destacar equipamentos que se fazem presentes na maioria dos sistemas. Alguns dos principais elementos de combate a incêndios, que auxiliam na proteção de pessoas e contenção de chamas, são:

  • Placas ou adesivos de sinalização;
  • Um ou mais extintores de incêndio;
  • Mangueiras de poliéster e borracha sintética;
  • Sirene de alarme de incêndio;
  • Portas no modelo corta fogo;
  • Bombas hidráulicas e hidrantes ou chuveiros elétricos.

1. Sinalização

Placas e adesivos podem ser considerados equipamentos importantes para a segurança em caso de incêndios, pois comunicam informações necessárias sobre extintores ou até saídas de emergência.

Nesse cenário, é fundamental que o sistema conte com boa sinalização, garantindo que os frequentadores do local saberão o que deve e o que não deve ser feito em caso de incêndio.

2. Extintores

O extintor de incendio é um equipamento de segurança composto por pressão interna, que pode conter água, pó e outros componentes químicos. Eles são projetados para ter fácil manuseio e fabricados conforme as características do espaço em que serão instalados.

3. Mangueiras

As mangueiras para incêndio são utensílios que costumam ser utilizados nos imóveis, principalmente diante da existência de uma brigada de incendio, o que geralmente ocorre em locais bem amplos.

As mangueiras estão disponíveis nas opções I, II e III, fabricadas em poliéster no exterior e borracha sintética no interior.

As brigadas de incêndio são grupos organizados por pessoas treinadas para a prevenção, abandono e combate em casos de princípios de incêndio.

4. Alarme de incêndios

A instalação ou conexão a uma central de alarme é cada vez mais comum nas edificações. O instrumento emite sinais sonoros em caso de princípio de incêndio, operando de maneira manual ou automática, a partir da detecção de fumaça e temperatura elevada.

5. Porta corta fogo

As portas no modelo corta fogo são consideradas um armamento, fabricadas em aço galvanizado, um material isolante térmico acústico, de alta resistência.

Elas são instaladas nas saída das escadas e entre corredores, de maneira estratégica, para impedir a passagem do fogo de uma área para a outra.

conserto de porta corta fogo deve ser feito por profissionais especializados, atentando-se para as características essenciais da estrutura.

6. Bombas hidráulicas

Acopladas a motores de combustão ou elétricos, as bombas hidráulicas são equipamentos que permitem a condução de água pelos sistemas de encanamento, auxiliando no combate aos incêndios.

Desta forma, por meio de hidrantes, chuveiros ou sprinklers, a água é descarregada quando o sistema detectar um foco de incêndio.

A importância das brigadas de incêndio

Vale a pena ressaltar a importância das brigadas de incêndio.

De modo geral, são grupos organizados por pessoas treinadas para atuar na prevenção de princípios de incêndio, abandono do local ou até no combate às chamas.

As equipes também atuam na prestação de primeiros socorros, dentro de uma área preestabelecida.

A brigada de incêndio deve ser composta de acordo com a população fixa e classe da ocupação da edificação. A seleção de candidatos, assim como a organização funcional da equipe, deve ser feita de acordo com as normas de segurança vigentes.

Além disso, os candidatos a brigadista devem frequentar curso de capacitação, com o objetivo de compreender os conhecimentos básicos envolvidos na prevenção, isolamento e extinção de princípios de incêndio, assim como técnicas de primeiros socorros.

Para garantir a eficácia do funcionamento do sistema de combate a incêndios, a manutenção periódica dos itens envolvidos também é de extrema importância, pois garante o seu funcionamento diante de uma eventualidade.

Os equipamentos devem estar sempre em bom estado de conservação, devem ser certificados e estar dentro do prazo de validade, além de dispor de instruções para o uso.