Os procedimentos de reforma e revitalização de edifícios envolvem inúmeras ações específicas, como atividades de pinturas em geral nas áreas internas e externas. É a chamada pintura predial, que se diferencia de demais obras, principalmente pelo trabalho em grandes alturas.

Eventualmente, todo prédio ou edifício deverá passar por alguma modificação.

No caso da pintura predial, as intempéries, o passar do tempo, as chuvas e a grande incidência de raios solares faz com que a estrutura precise receber uma nova demão de tinta, já que o revestimento se desgasta.

Nesse sentido, a pintura predial devolve o aspecto estético do prédio, contribuindo para melhorar a aparência do imóvel, deixando-o com um visual mais limpo e sofisticado.

Passo a passo das etapas da pintura predial

Em primeiro lugar, se o edifício ou prédio está precisando de uma reforma, é importante contratar uma empresa de pintura predial SP especializada, uma vez que esse serviço deve ser executado por profissionais experientes.

Ainda mais, por envolver altura é imprescindível que a atividade seja feita por pessoas qualificadas, para evitar quaisquer acidentes ou ocorrências.

Além disso, muito mais do que a pintura, são necessários outros procedimentos que integram o serviço, para que a revitalização seja completa. Sendo assim, algumas etapas da pintura predial são:

  • Primeiro passo: limpeza da superfície;
  • Segundo passo: lixar as paredes;
  • Terceiro passo: preparação do revestimento;
  • Quarto passo: correção das imperfeições;
  • Quinto passo: selador e pintura.

Em muitos casos, no primeiro passo, a estrutura do imóvel pode estar coberta com sujeiras, fungos e manchas. Por esse motivo, é preciso realizar a higienização do local, retirando os excessos de resíduos.

No entanto, pode ocorrer de a limpeza da superfície do prédio não ser o suficiente para retirar os resíduos. Quando isso ocorrer, recomenda-se lixar a edificação, removendo outros resquícios de poeira, sujeiras e imperfeições.

Os ambientes externos exigem tintas de maior durabilidade, já que estarão constantemente expostos a intempéries. Assim, indica-se o uso de tintas de qualidade, que não desbotem facilmente.

Já para uma melhor aderência da tinta, bem como do aspecto estético do edifício, é necessário corrigir eventuais imperfeições da superfície, deixando-a uniforme e lisa.

Antes de iniciar a pintura predial propriamente dita, é necessário aplicar o selador, um produto que irá ajudar na fixação da tinta. Depois de seco, pode-se aplicar a primeira demão da pintura.

Pintura predial: Um trabalho que necessita de cuidados

Conforme mencionado anteriormente, a pintura predial é um serviço que demanda o trabalho de pessoas qualificadas e, por esse motivo, o recomendável é contratar empresas especializadas no procedimento.

Além disso, essa atividade é realizada em altura e, nesse sentido, deve seguir as normas específicas regulamentadas para trabalhos em altura, como é o caso da NR 35.

De acordo com a Norma Regulamentadora 35, os trabalhos em altura devem seguir os requisitos mínimos de proteção, envolvendo o planejamento, a organização e a execução.

Isso quer dizer que a regulamentação garante a segurança dos trabalhadores que estão direta ou indiretamente envolvidos com a pintura predial, bem como qualquer atividade executada acima de 2 metros do nível inferior, com riscos de queda.

A NR 35 também dispõe sobre os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) obrigatórios nos trabalhos em altura, incluindo o capacete aba total.

Esse capacete serve para proteger a cabeça do trabalhador de pancadas, não somente da queda, mas também de choques com outros objetos que podem cair.

Por esse motivo, o acessório é indispensável, tanto para os trabalhadores que estão operando em alturas, ou mesmo para os que estão no solo, acompanhando a obra. Vale lembrar que há modelos especiais do EPI, como o capacete feminino.

Outra norma que dialoga com a NR 35 no caso da pintura predial é a NR 6, que dispõe sobre o uso de EPIs em geral.

Nos trabalhos de pintura, por exemplo, a NR 6 recomenda o uso da máscara semi facial. Esse acessório evita que a fumaça proveniente de sprays de pintura seja inalada pelos trabalhadores, já que as tintas podem conter substâncias tóxicas prejudiciais ao organismo.

Ainda na NR 6, a regulamentação também especifica o uso dos oculos de proteção, que também são essenciais para evitar o contato dos olhos com fumaças, resíduos e a própria tinta.

Não somente na parte da pintura, durante a higienização da superfície também há o risco de substâncias agredirem os olhos.