Dados do Ministério da Saúde apontam que existem mais de 7.500 hospitais em todo o Brasil, entre públicos e privados. Como nesses ambientes são realizados procedimentos delicados, como cirurgias e partos, é fundamental que eles sigam um cronograma rígido de manutenção em todos os seus componentes.

Afinal, um problema, por menor que seja, pode ser fatal, literalmente. Da mesma maneira, é fundamental que eles incorporem a acessibilidade em sua estrutura: é comum que pessoas com dificuldades de locomoção transitem por tais espaços.

A boa notícia é que o mercado já despertou para essa realidade. Por conta disso, atualmente, há cada vez mais empresas que prestam serviços de manutenção para esses estabelecimentos, mantendo suas estruturas em melhor estado e garantindo que o serviço prestado aos pacientes e a suas famílias seja o melhor possível.

Quer aprender mais sobre a manutenção de hospitais? Então continue lendo e confira os procedimentos a serem realizados em algumas de suas estruturas:

  1. Elevadores

Um elevador para maca, de maiores dimensões que um aparato projetado para transportar passageiros, é um item de primeira necessidade em hospitais.

Isso pois ele permite levar os pacientes de um andar para o outro de maneira mais simples e rápida, algo extremamente importante, principalmente, em situações de emergência.

Contudo, é preciso ter em mente que, por mais que essa máquina seja projetada para ser durável e eficiente, ela não é indestrutível.

Na prática, isso significa que, à medida que o elevador é usado, é normal que as suas peças comecem a dar sinais de desgaste, podendo apresentar problemas que cheguem a inviabilizar o seu funcionamento.

Quando isso acontecer, é preciso procurar uma empresa de manutenção de elevadores sp, ou onde quer que o hospital esteja instalado, para que ela faça a vistoria de componentes como:

  • Quadro de energia;

  • Cabo de aço da cabine;

  • Limitador de velocidade;

  • Portas.

Vale ressaltar que esta última peça é extremamente importante: caso as portas falhem e se abram quando a cabine não estiver naquele andar, uma pessoa desavisada pode cair no poço, sofrendo ferimentos graves.

Outra maneira de evitar acidentes é investir na manutenção preventiva. Nessa técnica, todos os componentes são vistoriados de maneira periódica, independentemente de darem sinais de defeitos ou não.

Deste modo, problemas que ainda não são aparentes podem ser sanados antes que prejudiquem o funcionamento ou a segurança do elevador, evitando grandes contratempos no cotidiano de funcionamento do hospital.

Por último, mas não menos importante, muitas vezes vale a pena fazer com que o estabelecimento firme um contrato de manutenção com uma empresa especializada.

Além de conseguir negociar o valor, isso significa que sempre haverá alguém à disposição caso seja necessário realizar algum procedimento.

  1. Exaustores

Em hospitais, a existência de um sistema de ventilação bem mantido é algo extremamente importante. Isso pois, quando tal mecanismo apresenta algum defeito, a tendência é que a qualidade do ar e o conforto no interior de suas dependências piore, prejudicando tanto o trabalho dos profissionais que nele atuam quanto a recuperação dos pacientes.

Por conta disso, é fundamental que ele passe por manutenções constantes.

Assim como no caso de um sistema de exaustão industrial, uma das principais preocupações é com a limpeza dos exaustores que o formam. Isso pois, como eles atuam puxando o ar no interior do ambiente, substituindo-o pelo do exterior.

Tal mecanismo de funcionamento faz com que ele tenda a acumular as impurezas existentes no ar, prejudicando o seu funcionamento e a pureza do ar no interior do hospital. Por conta disso, é indicado realizar limpezas periódicas nele, assim como no caso dos aparelhos de ar condicionado.

Da mesma maneira, é recomendado usar aparatos que ajudem o exaustor a funcionar, aprimorando a circulação do ar e tornando o hospital mais arejado de modo geral.

Como o ar condicionado costuma ressecar o ambiente, algo que costuma ser prejudicial a pacientes que têm em um estado de saúde mais delicado, especialistas afirmam que os ventiladores são os aparatos mais indicados: além de econômicos, eles são eficientes em fazer com que o ar circule, tornando o ambiente mais agradável tanto para os profissionais quanto para os pacientes.

Por fim, ao construir um estabelecimento do tipo, também se recomenda fazer o projeto pensando na direção dos ventos da região – ou, em outras palavras, usando a técnica da ventilação cruzada. Dessa maneira, haverá menos dependência tanto dos exaustores quanto dos ventiladores.