Por vários motivos, um dos campos mais técnicos da área de atuação da engenharia/construção civil é o da geologia, especialmente no que diz respeito à topografia e ao georreferenciamento.

Um dos principais motivos disso é a complexidade do assunto, que envolve desde tecnologias e inovações da área, passando por questões acadêmicas até autarquias e foros da Administração Pública.

Os grandes órgãos públicos responsáveis

No Brasil, graças ao MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) e ao INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), as atividades supracitadas estão devidamente reguladas desde, pelo menos, o ano de 1970.

Foi a partir dessa data que um decreto-lei passou a vigorar sobre toda reforma agrária e toda questão ambiental e de desenvolvimento da infraestrutura do país.

Muitas das referencias de ofício do georreferenciamento e da topografia são imprescindíveis a todas essas frentes de desenvolvimento, crescimento e expansão por via de engenharia civil.

As principais frentes de atuação dos órgãos mencionados são:

  • Avanço da infraestrutura do país;

  • Garantia de desenvolvimento sustentável;

  • Equacionamento dos ativos ambientais;

  • Equacionamento dos passivos ambientais;

  • Gestão de potencialidades e biomas, etc.

Adiante, neste post, compreenderemos algumas atividades do setor e o papel das Empresas de gerenciamento de obras no avanço dessas iniciativas governamentais e privadas.

O papel do gerenciamento de obras privadas

Apesar de momentos de crise, o setor da construção civil e do negócio imobiliário tem passado por suas melhores fases nas últimas décadas.

Com o crescimento, é natural que surja uma demanda maior por uma gestão mais profissional e mais técnica de todos os trâmites ligados a empreendimentos de todos os tipos.

Uma boa empresa de gerenciamento sabe que apesar de todas as dificuldades ligadas às fases de obras (edificações, restaurações, reparos, acabamentos, etc.), a fundamentação técnica mais urgente é, muitas vezes, a que se relaciona com o risco econômico do negócio.

Hoje essas empresas atendem:

  • Agentes do mercado;

  • Proprietários de imóveis;

  • Construtoras em geral;

  • Incorporadores do ramo;

  • Investidores e interessados;

  • Todo tipo de empreiteiras, etc.

Ademais, a empresa lida não apenas com questões técnicas e tecnológicas (como as mais diretamente ligadas ao georreferenciamento e à topografia), mas também com o mercado imobiliário, com aspectos industriais e logísticos, para não falar em alguns típicos do comércio e do varejo.

Embora voltada para as iniciativas privadas, essas empresas são responsáveis por garantir não apenas os prazos prometidos, a curva de custos gerais projetados, mas também a segurança do trabalho.

Isso inclui desde a fase de projetos e obras, como também as fases seguintes, quando as edificações e os locais serão frequentados, visitados e habitados pelas pessoas.

O que é um levantamento planialtimétrico?

De todas as demandas mais técnicas que os órgãos do governo e as empresas privadas enfrentam, uma das principais é a do levantamento planialtimétrico georreferenciado.

Esses levantamentos costumam ser promulgados por meio de cartas topográficas ou plantas arquitetônicas. As cartas focam na área exterior e anterior às obras; já as plantas, na parte interior e posterior.

Ao falar em parte exterior, o levantamento lida com acidentes geográficos de toda ordem, os quais podem ser naturais (rios, córregos, vegetações, etc.) ou mesmo artificiais (estradas, viadutos, encanamentos de gás, e daí por diante).

Ao falar em parte interior, como no caso das plantas arquitetônicas, remete-se especialmente a soluções elétricas e hidráulicas.

Mas, não apenas isso: qualquer edificação precisa dessa documentação, seja para efeito de manutenção preventiva e corretiva, seja para o caso de futuras expansões ou alterações estruturais de qualquer ordem.

No termo “planialtimétrico” temos a junção de duas palavras: “plano”, que designa qualquer superfície natural ou artificial, vista pela ótica da engenharia e da topografia. Já “altimétrico” ou altimetria,  é a operação que lida com as medidas de altitudes dos pontos da superfície.

As sondagens e os ensaios de penetração

Outra demanda mista em termos de iniciativa pública e privada é a dos ensaios SPT, sigla para Standard Penetration Test, que em tradução direta significa Ensaio de Penetração Padrão.

De fato, Sondagem spt preço e demais especificações técnicas é, atualmente, uma das pesquisas mais requisitadas nessa área.

Essa operação precisa ser feita ainda na etapa de projeto e tem vínculos diretos com a topografia e o georreferenciamento.

Ela gira em torno de cálculos voltados para a fundação e estabilidade dos taludes, que são as planificações de um terreno inclinado, seja por força artificial humana, seja por acidente geográfico.

Após os projetos essa planificação costuma ter a função de garantir a estabilidade da região cercada, também conhecida como aterro.