A instalação de um sistema elétrico nos empreendimentos imobiliários devem passar por estudos de utilização, disponibilidade de energia para os equipamentos elétricos e eletrônicos que serão usados, e até mesmo a zona municipal em que estão construídos.

A região determinada como zona residencial, que conta apenas com casas, comércios, como lojas e supermercados, e equipamentos de serviço, como escolas e unidades básicas de saúde, não demandam de grande quantidade de energia.

As regiões determinadas como zona comercial e empresarial, em que universidades, hospitais públicos e particulares, centros comerciais, e sistema bancário, por exemplo, necessita de uma demanda maior de energia, pois a concentração de pessoas tende a ser maior, e deve contar com energia elétrica suficiente para atender toda a população.

Instalação elétrica com segurança

Nas zonas industriais, os equipamentos precisam de uma demanda ainda maior de energia, pois são maquinários que funcionam em rotações constantes, durante longos períodos.

O sistema elétrico deve contar com tomadas e interruptores capazes de suportar alta carga elétrica, e estarem disponíveis em pontos estratégicos, para atender de maneira eficiente os usuários de cada setor onde estiver instalado.

A presença de aterramentos em todo o sistema elétrico, assim como a instalação de um para raios, são primordiais para suportar descargas elétricas provocadas por agentes da natureza, como raios e trovões, e também por sobrecarregamento da rede elétrica que fornece toda a energia para as fábricas e galpões.

Dentro do planejamento de um sistema elétrico, é importante estar presente um disjuntor para tomadas, que facilitam o desligamento, quando há qualquer alteração no fornecimento de energia.

Por medidas de seguranças, os equipamentos ligados à energia, dentro deste sistema, pode ser desligado, sem a interferência em outros pontos.

Desta forma, a linha de produção, dentro de uma indústria, não fica prejudicada por completo. Outras vantagens neste tipo de instalação, que podem ser destacadas, são:

  • Determinação de tensão nominal da rede;
  • Separador de corrente nominal, evitando super aquecimento;
  • Suporte a capacidade de curto circuito;
  • Proteção contra acidentes elétricos.

Por serem máquinas de médio e grande porte, presentes em fábricas e indústrias, é preciso que cada uma tenha uma tomada determinada para uso exclusivo, pois assim não sobrecarregará a linha de transmissão, presente por todo o espaço industrial.

Apoio de equipamentos secundários

O fornecimento de energia por parte das concessionárias de serviço elétrico são eficientes, mas o setor industrial precisa estar precavido, quanto a interrupções no sistema de abastecimento, de uma forma geral, por causas naturais, como chuvas, ventos e quedas de raios, e até mesmo pelo racionamento, em períodos de seca nas hidrelétricas.

As ações aplicadas pelo setor empresarial, nas fábricas e indústrias, foi buscar soluções alternativas, que já estão disponíveis há muito tempo, e ganham espaço cada vez maior no mercado.

O uso de gerador de energia com abastecimento por combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, já tem seu uso aplicado nestes setores.

Mas, também atende outros, como centros comerciais, festivais de cultura e música, e até mesmo encontra-se presente em condomínios residenciais e comerciais, para garantir o funcionamento de equipamentos primordiais, como luzes de emergência e elevadores.

O acionamento deste tipo de equipamento se dá de maneira automática, conforme as oscilações de energia fornecida pelas concessionárias se tornam intermitentes, e funcionam durante um longo período, pois tem um baixo consumo de combustível, e ainda assim, pode ser comprado em postos, disponíveis em variados locais.

A manutenção também é pequena, e quando necessário, há uma mão de obra qualificada no mercado, que realiza o conserto de gerador de energia de maneira efetiva.

A manutenção preventiva, com a troca de correias e a lubrificação de peças, é realizada constantemente, e por isso, quando surge qualquer tipo de problema, ele pode ser contornado de maneira específica.

Todo o maquinário é baseado em motores rotacionais, que atendem diversos modelos de gerador de energia, e por isso, algumas peças, que estão presentes em outros equipamentos, também fazem parte deste, como a rosca transportadora helicoidal, que movimenta o abastecimento de gasolina ou diesel por todo o motor, controlando o fluxo e a variação de velocidade.

A demanda de energia e a manutenção preventiva determinarão a troca desta, ou de outras peças que compõem o motor de um gerador de energia.

Por isso, é importante ter uma agenda dedicada, pois nunca se sabe quando este equipamento precisará ser acionado.