Devido à escassez de terrenos disponíveis para novos projetos, as empresas de construção civil SP, e em outras localidades, têm investido cada vez mais em empreendimentos verticalizados.

Na prática, isso significa que há cada vez mais prédios com vários pavimentos na paisagem das cidades brasileiras. Para esses estabelecimentos, essa é uma maneira de fazer com que seus lançamentos sejam mais rentáveis.

Apesar disso, uma empresa de projetos de engenharia civil que pretende investir nessa estratégia deve ter em mente que ela exige alguns cuidados especiais.

O principal deles é a montagem de uma estrutura mais robusta, já que edificações de grande porte exercem uma pressão muito maior sobre os seus componentes. Do contrário, sua segurança e estabilidade podem ficar comprometidas.

A boa notícia é que empresas de engenharia civil em SP podem usar um item que é de grande ajuda para sustentar estruturas de grande porte: as estacas.

Continue lendo e confira algumas informações importante a respeito desse item, bem como quais são os modelos disponíveis.

O que são estacas?

Estacas são elementos usados em fundações de edifícios. Elas se caracterizam por aspectos como grandes comprimentos, porções transversais reduzidas e design apropriado para que sejam cravadas na terra. Populares, elas estão disponíveis em diversos modelos, tais como:

  • Estacas metálicas;

  • Estacas de concreto;

  • Estacas de concreto armado;

  • Estacas de madeira.

Como cada uma dessas matérias-primas tem características muito particulares, é fundamental que o responsável pelo projeto estude cada uma delas, e, assim faça a melhor escolha para ele.

Por exemplo, quando as estacas têm que ser usadas abaixo do nível da água, pode-se optar por aquelas em madeira. Contudo, como elas são vulneráveis à ação de microrganismos, não podem ser usadas em outro cenário.

Em compensação, há um grupo de estacas que são considerada extremamente versáteis, e, assim, indicadas para quase todas as situações: as metálicas.

Resistentes à tração e a vibrações, elas não trincam nem apresentam fissuras em sua superfície. O valor varia de acordo com as empresas, por isso uma pesquisa é fundamental.

Quais modelos de estacas existem?

Além disso, é preciso ter em mente que a matéria-prima não é o único fator que pode ser usado para diferenciar modelos de estacas: seu formato e a maneira como são usadas também são outro método para distingui-las.

Confira, a seguir, alguns dos modelos de estacas mais populares em canteiros de obras.

  1. Estaca hélice contínua

Quem tem como prioridade a produtividade no canteiro de obras costuma preferir as estacas escavadas, como no caso da estaca hélice contínua.

Esse grupo de itens se diferencia pelo fato de que sua implantação no solo é feita ao mesmo tempo que a retirada de material, o que, na prática, significa que ambos os procedimentos são unidos em um único.

Outra vantagem desse modelo de estaca é o fato de que as condições das camadas do solo são conhecidas em tempo real. Deste modo, os profissionais responsáveis pela tarefa podem fazer uma avaliação de carga mais segura, reduzindo as chances de erros e retrabalhos.

  1. Estaca pré-moldada

Além de unir procedimentos em uma única etapa, há, também, outra maneira de tornar o processo de instalação de estacas mais produtivo: reduzindo a retirada de solo do local.

Isso, por sua vez, pode ser obtido com a ajuda de estacas pré moldadas, sejam elas feitas com base em concreto regular ou concreto armado. Elas podem ser cravadas por percussão, prensagem ou vibração, dependendo das características do solo e da própria estaca.

Sempre é importante lembrarmos que, independentemente do modelo escolhido, é essencial contar com um procedimento bem feito e bem cuidado – assim, evitando problemas e dores de cabeça.

  1. Estaca raiz

Por último, mas não menos importante, também vale a pena considerar a possibilidade de se usar uma estaca raiz. Nesse caso, ela se diferencia por ser cravada no solo por meio de um procedimento rotativo.

Além disso, ela tem uma alta capacidade de carga e pode ser usada até mesmo em áreas reduzidas, o que, por sua vez, faz com que ela seja extremamente versátil.

Por fim, ela gera uma vibração mínima no ambiente, o que faz com que ela possa ser instalada de uma maneira mais segura e garantida.

Aproveite nossas dicas e invista naquela que melhor se encaixa ao projeto que está previsto.